A infidelidade como caminho.

 

 

Se é tão difícil adquirir hábitos mais saudáveis, imagina mudar os hábitos de alguém, ou mudar o marido "desligado" para atento e romântico, por exemplo. Mas se você descobrisse que não tem o poder de mudar seu cônjuge, ainda assim se casaria com ele? Pois bem, se você descobriu isso só depois do “sim” não se preocupe, porque há várias saídas. Alguns têm descoberto na traição  a  saída e o reencontro com a felicidade.

Numa sociedade que clama por satisfação imediata,  que não pode perder tempo, que não quer abrir mão de nada e que tem como mantra “aproveite o momento”, a infidelidade pode ser um atalho para o prazer imediato e o lugar para encontrar aquilo que lhe falta na relação. Como  um amante atencioso, carinhoso, romântico, educado, bem sucedido, inteligente, bom de cama.

Assim como na história da Chapeuzinho Vermelho, na relação de casal você também pode escolher o caminho. Quem escolhe o caminho da infidelidade pode chegar mais rápido ao prazer, contudo pode percorrer um caminho mais perigoso e arriscado. A  grande questão é o quanto você está preparado para as consequências de suas ações. Já que independente das causas de uma traição, de algum modo, ela vai ferir e magoar alguém, vai trazer consequências para o cônjuge, para quem traiu e para a relação familiar.

Algumas pessoas traem e nem se dão conta dos riscos, o fazem porque não aguentam mais viver a monotonia, estão cansadas de verem suas expectativas frustradas, sentem-se entediadas numa relação previsível, porque querem novas experiências sexuais, porque sentem medo da velhice e necessidade de reafirmarem seu poder de sedução, porque existe outro amor, porque preferem a traição que mexer no vespeiro, chamado casamento,  e descobrir que o seu desejo de relação à dois é utopia.

A infidelidade tem sido usada como caminho quando se descobre que o casamento não cura feridas do passado, não conduz a felicidade plena, tampouco é garantia de fugir da solidão. Trair pode ser tentador, emocionante, pode reacender desejos, trazer novas experiências, ânimo. Mas pode trazer dúvidas, arrependimento, medo, culpa, desespero, pode trazer inquietudes do passado, estresse, angústia. Principalmente quando sua escolha não é consciente e sim mais um impulso para fugir das armadilhas da vida a dois.

 

 

Please reload

Posts em Destaque

Profissões: o que escolho? Como me decido? A escolha da profissão em 2 etapas

March 11, 2015

1/2
Please reload

Posts Recentes

02.11.2019

08.09.2018

Please reload